Conceito Colegiado Litúrgico

A atividade própria do pastor é cuidar do seu rebanho: “Eu sou o Bom Pastor... Eu dou minha vida por minhas ovelhas”. O sentido de “pastoral”, palavra muito empregada após o Concílio Vaticano II, nasce da necessidade de pastorear, zelar pelo rebanho. Jesus confia a Pedro a missão de pastor, após a ressurreição: “Apascenta minhas ovelhas”. Na igreja são pastores os bispos – entre os quais o bispo de Roma como pastor supremo – e o padre. Eles participam da missão de guiar o rebanho de Cristo em nome do Bom Pastor.

À missão pastoral somos todos convocados em virtude do nosso Batismo. Esta ação de toda a igreja torna visível e sensível o pastoreio do único Pastor, que dá a vida por suas ovelhas e a dá de forma abundante. Fazer pastoral, à maneira do Bom Pastor, implica olhar pastoralmente a realidade, para nela intervir como arauto da Boa Nova e, assim, melhor servir as pessoas. Em resumo, “pastoral é toda a atividade da igreja que, em relação com a vida, busca cumprir bem a missão que lhe foi confiada”.

Que melhor momento existe para se realizar a entrega da vida do Bom Pastor ao rebanho do que durante a Liturgia? Na Liturgia, esta mística pastoral se manifesta de modo privilegiado. Nela, o pastor se reúne com sua grei. Simbólica e sacramentalmente, ele se une ao Divino Pastor e associa-se à sua missão de transfiguração do mundo e da humanidade pela doação da vida daquele que nos conduz as ovelhas às fontes de água viva.

Por manifestar visivelmente a Igreja, a Liturgia, fonte e ápice da vida cristã, pede uma ação pastoral que se destaque entre as outras. A Pastoral Litúrgica, pela força do Espírito, articulada às demais pastorais, realiza a missão de Cristo no mundo e produz entre as mesmas o elo sacramental com a oferenda de Cristo: “que ele faça de nós uma oferenda perfeita”.

O serviço prestado pela Pastoral Litúrgica assim se concretiza: “Daí-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos de nossos irmãos e irmãs; inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos; fazei que, a exemplo de Cristo e seguindo seu mandamento, nos empenhemos lealmente no serviço a eles”.